The Runaways

20 de jul de 2010

Recentemente assisti ao filme THE RUNAWAYS que conta a história da banda de mesmo nome formada em meados da década de 1970 e que estreia no Brasil em agosto.  

O longa mostra a trajetória da banda desde sua formação até seu fim precoce, destacando principalmente as integrantes Joan Jett e Cherie Currie, guitarrista e vocalista respectivamente.  Antes de dar um parecer sobre o filme, devo confessar que gosto muito de filmes biográficos envolvendo músicos, o que me torna suspeito para falar, mas ouso dizer que o saldo de THE RUNAWAYS é bastante positivo. Mesmo não sendo algo que vá mudar sua vida, é bastante indicado para quem gosta de histórias de bandas e também para quem só procura um pouco de entretenimento.

O mais legal em THE RUNAWAYS é ver como o grupo se formou – e deve ter milhares de outras que foi de maneira parecida. Ao contrário do que muitas vezes se pensa em relação a bandas de rock, elas não eram todas amigas de colégio ou coisa parecida. Na verdade elas nem se conheciam antes. Joan Jett era fã de rock e começou a aprender a tocar guitarra por conta própria (ela não gostou de ter aulas) e um dia ao avistar um famoso produtor musical, implorou para que ele a contratasse. Depois de muita insistência - visionário como era - ele topa o desafio de formar uma banda formada só por mulheres. Depois de juntar todas as musicistas do grupo só faltava uma vocalista.  Mas para isso não fizeram nenhuma bateria de testes vocais ou algo do tipo, na verdade o produtor escolheu Cherie Currie para o cargo por causa de sua aparência. Assim como deve acontecer em centenas de outras bandas e artistas, principalmente no mundo POP, onde muitas vezes a música fica em segundo plano e o que vale para lançar um CD é a forma física da artista.

Outra coisa deveras bacana que é retratada no filme é como algumas canções são compostas, coisa que sempre tenho curiosidade em saber e sempre é interessante. Por exemplo, um dos maiores clássicos da banda, a música “Cherry Bomb”, é criada pelo produtor a partir de um riff de Joan Jett logo no primeiro ensaio de Cherie Currie e foi baseada no nome da vocalista. Legal, não?

THE RUNAWAYS também mostra a dificuldade de convivência de uma banda em turnê e o conflito entre os interesses do grupo e do empresário, hora ou outra tendo um arranca-rabo daqueles.

Se você gosta desse tipo de filme pode assistir sem medo e se não gosta, talvez possa dar uma chance a ele. Pois vale a pena ver Dakota Fanning em cena fazendo um grande trabalho e roubando a cena, no papel que mostra uma garota comum ainda em fase de crescimento, mas que ao se deparar com o sucesso perde o controle de si e decai enormemente. Além disso, Kristen Stewart, muitas vezes criticada na SAGA CREPÚSCULO, mostra aqui que tem muita lenha para queimar e encarna muito bem a personalidade durona de Joan Jett. Mostrando que talvez seu problema no filme dos vampiros seja (ou não) o papel que ela interpreta.

Um bom filme, que em minha opinião só peca por dois motivos. O primeiro é se focar apenas em Joan Jett e Cherie Currie deixando as outras integrantes de lado, sendo que entre elas está Lita Ford, famosa por sua carreira solo e que chegou até a gravar com
Ozzy Osbourne. Mas isso acontece porque o longa é baseado no livro NEON ANGEL escrito pela vocalista Cherie Currie e que retrata principalmente sua relação na banda com Joan Jett. E o segundo motivo é por que muitas vezes o enredo é superficial demais, contando a história muito por cima, sem se aprofundar muito. Um bom exemplo disso se dá quando do desmembramento da banda.

Vale lembrar que as músicas tocadas pelas RUNAWAYS no filme são cantadas pelas próprias atrizes e não pelos membros da banda, o que sempre divide opiniões. Porém na trilha sonora fazem parte também algumas músicas originais do grupo. Falando nisso, a trilha sonora merece destaque, sempre regada ao bom e velho rock n’ roll, o que se enquadra perfeitamente ao filme. Se quiser adquiri-la basta clicar AQUI.

Abaixo você confere o trailer legendado do filme.



Ficha técnica
The Runaways (2010) 
Direção: Floria Sigismondi
GêneroBiografia
Elenco: Kristen Stewart, Dakota Fanning, Stella Maeve, Michael Shannon 



E aqui você confere a banda tocando “Cherry Bomb” no filme



E aqui “Cherry  Bomb” ao vivo em 1976 tocada pela banda de verdade

1 comentários:

Paulinha disse...

Mais um filme que você assistiu por causa da namorada, rsrs.
Eu tb gostei bastante, apesar de achar q ainda faltou muito pra contar sobre a banda. Mas é legal, principalmente pra quem gosta de filmes biográficos, como eu que adoro...
Sobre a atuação da Kristen.. acho que ela tem e muito potencial. Se você ler algum livro da saga Crepusculo vai ver q a personagem da Bella é aquilo mesmo... introvertida, vivendo no mundinho dela... meio nerd, rs.
Não há mto o q mudar mesmo na personagem, afinal ela fica "apagada" em meio a tantos seres diferentes. hahaha

Postar um comentário

 
Café com Ócio | by TNB ©2010