Manowar & Eu

15 de out de 2010



Estava eu utilizando meu ócio para acompanhar as letras com tradução de várias bandas acompanhando a música simultaneamente. Numa dessas, me lembrei do quanto é interessante e como casa bem – letra e música – na clássica “Hallowed Be Thy Name” do IRON MAIDEN. Emocionei-me com a inimista “In My Defence” da carreira solo de Freddie Mercury e com a carregada “When the Crows Are Gone” do SAVATAGE.  Ri com a humorada “Dr. Stein” do HELLOWEEN. E por mais incrível que pareça, refleti sobre minha vida com o hino “Die for Metal” do MANOWAR. Sério mesmo! Não acredita, continue lendo.  

Não me entenda mal, quando digo que é incrível o fato de refletir sobre a vida com uma música do MANOWAR. Mas o negócio é que o som dos caras pode trazer diversos tipos de emoções e sentimentos, mas nunca foi a intenção deles ser reflexivos. E se você acompanhar a letra (veja vídeo abaixo) da supracitada música, provavelmente não verá nada lá muito pensante. Mesmo que ela seja uma grande canção. E nem sei se posso chamar de reflexão aquilo que a letra de “Die for Metal” me passou.

Mas o lance é que esta música me trouxe muitas lembranças referentes a minha própria vida e sobre minha paixão pelo Heavy Metal.  Sério, tem várias coisas nela, em que me identifico e tenho certeza, que muitas pessoas, também têm algum tipo de identificação com ela.

Assim como o cara descrito na letra da música, eu também tinha um emprego que não gostava. Nada contra os que trabalham no ramo, mas não era o que eu queria, pois não conseguia me adaptar com o serviço. Eu era um funcionário bem ruim naquilo, para ser bem franco. Tanto, que da mesma forma que o personagem, eu fui demitido. Mesmo não gostando daquele emprego, não fiquei lá muito feliz por ter sido mandado embora, devo confessar.

Porém, há males que vem para o bem, como já dizia aquele "velho deitado". E no meu caso, eu fui demitido antes mesmo de acabar o mês, o que foi ótimo. Pois, eu recebi o acerto no mesmo dia. Isto foi numa sexta-feira.  Neste mesmo dia, quando cheguei em casa e fui checar meus e-mails, havia uma mensagem de um colega meu perguntando se eu não estava afim de ir para o festival Rock The Planet com ele. Na van restavam somente dois lugares. O festival iria acontecer no dia seguinte. Então não tive dúvidas, peguei aquele meu salário mequetrefe, convidei meu irmão para ir comigo e liguei para o cara da excursão confirmando minha presença. Se meu patrão não me tivesse dado a conta exatamente naquele dia, eu iria perder um dos melhores shows da minha vida. Pra quem não se lembra, no Rock the Planet, que aconteceu em outubro de 2004, tocaram as bandas VIPER, KOTIPELTO, SHAMAN e EDGUY, que naquela noite iria gravar um DVD* e estava na turnê de um de seus melhores álbuns, o aclamado “Hell's Fire Club”.

Ou seja, assim como na letra de “Die for Metal”, eu também perdi meu emprego, mas fui lavar minha alma num grande concerto de Heavy Metal. E dos bons.

Outro episódio, também envolvendo shows, que a música do MANOWAR me fez lembrar, foi no primeiro show do Metal que eu fui na minha vida. A apresentação do BLIND GUARDIAN, que aconteceu em Bauru, nada mal hein? Neste caso também contei com a sorte. Mas, pelo menos, não perdi emprego algum, até porque na época eu ainda nem sequer trabalhava. Este show estava marcado para ser em Curitiba, mas por alguma obra do acaso, foi cancelado. Então os caras da banda FAIRY TALE de Bauru conseguiram remanejar a apresentação para sua cidade. O que para mim foi ótimo, já que a cidade onde moro fica só a 40 minutos de lá.  Sendo assim, ficou fácil para me locomover até lá.

Como ainda era um meninão em shows e esse era o primeiro da minha vida, estava meio perdido no empurra-empurra em frente do lugar aonde o BLIND GUARDIAN iria se apresentar. Quando os portões se abriram todo mundo entrou correndo no recinto e acabei me perdendo do meu irmão e do colega que estava comigo. No meio da multidão fiquei sem ninguém conhecido por perto. Por pouco tempo, pois logo uns caras que estavam do meu lado já se enturmaram comigo e até me ofereceram cerveja, como na música do MANOWAR. Porém, como na época eu não era adepto do álcool, não aceitei. Mas que foi uma atitude legal dos caras, isso foi. Entretanto logo um dos meus colegas me achou novamente.

Aliás, o público de Heavy Metal é do tipo que se pode se chamar de irmandade, ou “Brothers of Metal”, como diz outra canção dos “Reis do Metal”. Sério, você pode chegar ao lugar sem conhecer ninguém, que já na fila para entrar no show vão fazer amizade com você. E provavelmente você vai rir muito com eles. Pois quem já esteve numa fila para apresentação de bandas de metal, sabe que este é um lugar muito prolifero para pessoas, comentários e coisas engraçadas. Já ouvi até gente cantando “Carry On” do ANGRA com a voz do Silvio Santos. Impagável! Entre tantos outros casos bizarros, como no dia em que um cara vestindo sobretudo num baita calor from hell e chupando pirulito veio até meus amigos e se apresentou como “Satã” e dizia ter pego doces do Papai Noel. Mais absurdo impossível.

Fala a verdade, se for pra morrer por um estilo musical, o Heavy Metal é o mais digno de tal sacrifício. Duvido que alguém não concorde. Afinal, é um dos poucos estilos onde a maioria dos músicos fazem isso por amor, de verdade e não por dinheiro. Além disso, os headbangers são os mais fiéis fãs, com toda certeza. As músicas são de qualidade indiscutível e os fãs são verdadeiros irmãos. “For heavy metal, we would die!”.



* Apesar de estar anunciada a gravação do DVD, alguns problemas com os aparelhos de gravação não permitiram que isso acontecesse. De qualquer forma, algumas imagens desse show acabaram saindo como parte do DVD “Superheroes”.

Manowar – Die for Metal (com legendas em português)

8 comentários:

Mito disse...

Seu texto me lembrou muito a fila do SWU (dia 11), onde teve guerra de comida. Me diverti muito com isso, e alguns caras que cantaram o hino brasileiro, Legião Urbana e outras músicas

Murinho disse...

veja as letras de [b]courage[/b] e [b]fight for freedom[/b] do manowar. Mesmo que não tenha nada a ver com sua vida, elas vão arrepiar. [b]I believe [/b]também é chapada. São músicas para se refletir sim e todas de encorajamento.

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Pode crer Mito, é isso mesmo, em filas de shows sempre rolam umas cantorias. Já ouvi até as canções dos desenhos "Cavaleiros do Zodíaco" e "Dragon Ball".

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Essas letras que o Murinho comentou, são realmente muito boas. São músicas que te passam aquela sensação de esperança de vontade. Muito bem lembrado!

Tsuha disse...

cacete..comparar manowar com SWU... tá osso essa vida viu...
mas o autor realmente disse a verdade...fiéis mesmo são os fãs do Metal... nao existe ninguém como nós... como disseram no Headbangers Journey "voce não vê alguém dizendo que foi fão de Slayer por um verão. Quem curte grava isso bem fundo, até o sangue".

Uma outra letra que sempre me lembra dos tempos antigos é Blood Brother, que sempre me faz lembrar de um amigo que é como um irmão para mim.

Anônimo disse...

Cara , já fui em vários shows de Metal , e com certeza é diversão na certa , vc faz muitas amizades , com um pessoal muito receptivo , bem humorado e inteligente , até mesmo quando não tem o show , como foi o caso do lendário show do Iron Maiden em Campinas , que apesar da banda não estar presente , foi muito engraçado , o povo arrancando os portões do estádio......
Agora aproveito a oportunidade para fazer uma crítica : poderiam fazer mais festivais , como o Live n Louder , para reunir mais bandas , com menor preço.

Anônimo disse...

num show do HAmmerFall tinha uma galera cantando músicas do Chaves, hahahahaha.... vamos falar a verdade, somos todos um bando de dementes, hahahahaha....

"Hail to the Metal!!!!"

Anônimo disse...

Cara, concordo totalmente com o seu texto. A galera do metal é muito engraçada e gente-fina, uma irmandade mesmo. Mesmo não sendo muito fã do Manowar, acho que a letra de "Die for Metal" veio bem a calhar. Abração!

Postar um comentário

 
Café com Ócio | by TNB ©2010