O fim do metal melódico

14 de set de 2010


Os modismos existem em praticamente todos os estilos musicais, e no Heavy Metal não é diferente. Porém no metal a coisa acontece sempre no underground e estas ‘modas’ não são criadas pela mídia como acontece na música POP e em outras vertentes mais leves do rock.  As modas metálicas parecem que são criadas sem que tenham a intenção de serem modas. O que acontece é que algumas bandas, tentando sair do lugar comum, testam novas fórmulas e acabam obtendo sucesso e assim criando um novo estilo. Daí que outros músicos ouvem, gostam e começam a fazer um som semelhante. Logo, inúmeras bandas aparecem seguindo esta nova tendência e as gravadoras começam encher seus casts com este novo som que começa a chamar a atenção do público. 

Nos últimos anos tivemos vários exemplos destas modas surgindo na cena Heavy Metal mundial. Como o Symphonic Black Metal, onde cópias de DIMMU BORGIR e Cradle of Filth apareciam aos montes; o Gothic Metal com vocais ao estilo ‘A Bela e a Fera’; o chamado “Melodic Death Metal” de bandas como Children of Bodom e In Flames; e também o Metal Melódico. Porém, à medida que estas modas vão passando, os modistas a esquecem, mas elas continuam tendo seu público fiel e as principais e mais honestas bandas continuam firmes e fortes, enquanto que os oportunistas que tentaram pegar carona no sucesso alheio caem no esquecimento. Entretanto como veremos a seguir, este ciclo lógico não vem ocorrendo em se tratando daquilo que se convencionou chamar de Metal Melódico em nosso país.

Mas antes de entrarmos realmente no assunto do título da matéria devemos conhecer um pouco mais sobre este estilo veloz e melodioso de se tocar Heavy Metal.


Uma breve História do Metal Melódico

No final dos anos 80 surgia na Alemanha uma nova maneira de se fazer rock pesado. Este novo estilo trazia o peso do Heavy Metal de nomes como Iron Maiden e Judas Priest aliado à riffs de guitarra ainda mais melódicos e um ritmo mais veloz. A paternidade dessa nova vertente do Metal foi atribuída à banda Helloween que lançou naquela época os dois discos que definiriam o estilo, “Keepers of the Seventh Keys” Part I e II (1987 e 1988 respectivamente). Na Europa o estilo ficou conhecido como Speed Metal, porém no Brasil se popularizou com o nome de Metal Melódico.

Ainda na década de 80, inúmeras bandas começaram a surgir ao redor do globo com a intenção de tocar Speed Metal. Porém foi na década seguinte que o estilo obteve seu auge. Bandas como Stratovarius e o próprio Helloween tinham carreiras consolidadas e figuravam facilmente entre as preferidas da maioria dos headbangers da época. Até aqui no Brasil, que ainda não tinha uma cena tão forte quanto hoje em dia, tínhamos bons representantes do estilo, como o cultuado VIPER. Que após lançar um álbum de Metal Tradicional, o “Soldiers of Sunrise” (1987), também se renderia ao Metal Melódico no disco seguinte, o clássico “Theatre of Fate” (1988). Mais tarde, outra banda brasileira alcançaria status de grande nome do estilo, a paulistana ANGRA, que tinha em sua formação o ex-vocalista do VIPER, André Matos.

Ainda na última década do milênio passado, com o boom do Metal Melódico, uma infinidade de novas bandas começavam a surgir. Muitas das quais, eram de qualidade duvidosa, e logo se via que estavam tentando apenas pegar carona no sucesso de outrem. Clones dos finlandeses do Stratovarius apareciam aos milhares e lotavam as páginas das revistas metálicas com propagandas de seus álbuns de estreia. A cena definitivamente estava ficando saturada.

O estilo ainda teve um novo suspiro criativo com o aparecimento triunfante dos italianos do RHAPSODY, que traziam elementos orquestrados e sinfônicos para sua música. Com isso, suas canções se mostravam grandiosas e bombásticas como nenhuma outra até então. Porém, não demorou nada para que os oportunistas de plantão tentassem entrar na nova onda e, assim, lotarem o mercado com músicas épicas e pomposas como as da banda italiana.

E foi então que começou a decadência do estilo. Algumas bandas, talvez as mais talentosas, ainda continuariam produzindo Metal Melódico de qualidade, buscando novas fontes de inspiração e fugindo da mesmice. É o caso, por exemplo, de Blind Guardian e KAMELOT, que desenvolveram personalidade própria e conseguem se reinventar a cada novo álbum, mas sem deixar de lado o estilo que os consagrou. Algo que se torna cada vez mais raro, não só no lado melódico do Metal, mas em todas as vertentes da música em si, sendo ela pertencente ao rock ou não.


Rótulos, rótulos, rótulos

Tendo dito todas essas coisas, vamos finalmente adentrar a tese de que o Metal Melódico, se ainda não morreu, está com os dias contados. Todavia, antes devemos ainda separar duas vertentes do Metal que normalmente são confundidas pelas pessoas. Pois de fato ambas tem nuances parecidas. Mas para que essa minha tese seja mais bem compreendida e aceita, o leitor tem que ter em mente que Metal Melódico e Power Metal são estilos que se diferem. Para tal, vou tentar através de exemplos mostrar esta tênue diferença que existe entre ambos.

O Power Metal é um estilo tipicamente germânico, pois suas origens e principais representantes vieram de lá. Bandas como Running Wild, Grave Digger e Rage estão entre as mais importantes. Perceba que estes grupos citados têm uma sonoridade mais áspera e pesada do que as bandas de Melódico, tais como EDGUY (primeiro cinco álbuns), Stratovarius ou nossos conterrâneos do ANGRA, por exemplo. Podemos dizer que Power Metal é algo que está entre o Heavy Tradicional e o Thrash Metal, é mais pesado e veloz do que o primeiro, porém tem menos peso e velocidade que o segundo. Enquanto que o Melódico está entre o Tradicional e o Power. Só espero não ter confundido ainda mais a cabeça do leitor... Mas vamos lá pessoal, é fácil perceber a diferença entre músicas dos primeiros dois discos do projeto AVANTASIA e músicas do GRAVE DIGGER por exemplo.


Agora, sim. Metal melódico com o pé na cova

Agora que vimos que existe diferença entre Metal Melódico e Power Metal, e que ambos não são a mesma coisa, finalmente poderemos entrar nos argumentos que tentam provar a morte do Speed Metal.

As principais bandas e que em muitos casos ajudaram a definir o estilo, hoje em dia estão buscando novos caminhos musicais. Vejamos por exemplo os alemães do EDGUY, depois de atingirem o topo do Melódico com o excelente álbum “Mandrake” (2001), a banda trouxe uma nova sonoridade para o disco seguinte. “Hellfire Club” (2004) apresentava um som mais agressivo que o costumeiro em algumas músicas, enquanto outras descambavam para o Heavy Tradicional e até para o Hard Rock. Mas foi no lançamento seguinte do grupo, o bom “Rocket Ride” (2006), é que a banda investiu pesado em uma nova sonoridade, há muitas faixas que são puro Hard Rock, abandonando quase de vez o estilo que os consagrou.

Outro exemplo de banda ícone do estilo e que mudou seu direcionamento, são os finlandeses do Stratovarius que nas duas partes dos “Elements” (2003) apostou em um som mais atmosférico e cadenciado. Assim evidenciou ainda mais a desistência do Metal Melódico com o disco consequente, que levou o nome da banda no título, onde o grupo apostou, de vez, no Heavy Metal Tradicional da década de 80.

E os exemplos não param aí. Ainda temos o Gamma Ray de Kai Hansen que no início da carreira praticava o mais alegre Metal Melódico do globo terrestre e depois, com “Majestic” (2005) apostou no Metal Tradicional e em Power Metal mais vigoroso. Em terras-brasilis isso igualmente ocorre, nossas principais bandas do estilo, ANGRA e Shaman, também enveredaram por novos caminhos. A primeira, buscou auxilio nas bases do Metal Progressivo, enquanto a segunda optou por voltar as raízes do heavy oitentista.

Até mesmo o Helloween, os pais do estilo, já optaram por fazer outros tipos de som, desde uma veia Hard apresentada no “Master of Rings” (1994) até o cadenciando e sombrio “The Dark Ride” (2000), em que nada remetia aos velhos tempos. Entretanto, esta grande banda alemã tentou retornar ao estilo ao qual deram vida no fim dos anos 80, com o lançamento de “Rabbits Don’t Come Easy” (2003) e do sugestivo e pretensioso “Keepers of the Seven Keys Part III” (2005). Porém, não obtiveram o sucesso esperado. Assim como aconteceu com seus conterrâneos do GAMMA RAY que lançaram “Land of the Free Part II” (2007) numa tentativa de voltar às raízes. O fracasso desses discos só comprovam a tese de como o metal melódico vive dias pouco favoráveis.

Claros sinais do fim da linha para o Metal Melódico não? Provavelmente sim, pois se já não bastasse as principais bandas do estilo terem mudado sua sonoridade, muitas outras bandas que ainda insistem em fazer este tipo de Heavy Metal não conseguem respaldo. E não é por falta de qualidade que isto ocorre, pois grupos como Meduza, Norcturnal Rites e Labyrinth mostram em seus álbuns que sabem muito bem o que estão fazendo e que entendem do assunto. Mas, a verdade, é que o público headbanger parece já estar cansado de tantas bandas apostando nestas mesmas fórmulas.

 Por isso, concluo dizendo que o Metal Melódico ou Speed Metal, como chamam os gringos, está à beira do precipício. Pois mesmo existindo novas e boas bandas do estilo, o público não dá mais atenção a elas. E mesmo os ‘mestres’ do estilo estão migrando para outras áreas do Heavy Metal decretando assim o fim do estilo que ajudaram a criar e consolidar. Até mesmo quando tentam voltar ao estilo, não atingem um resultado esperado.

 Mas ainda assim, nada impede que daqui a alguns anos, o estilo consiga uma ressurreição. Tal qual aconteceu com o Hard Rock que era uma febre nos anos 80 e até pouco tempo atrás praticamente inexistia. E hoje em dia, quase duas décadas depois de seu sepultamento, parece estar voltando a ganhar força através de novas bandas e também de grandes bandas que estão voltando à ativa.

Leia também:


42 comentários:

Raul disse...

Acho que, como foi dito, não é exatamente por culpa das bandas que o estilo está agonizando. A impressão que fica é a de que o público é que simplesmente já está saturado do estilo. Longe de querer comparar, mas acho que é mais ou menos como na época do new metal: eram tantas bandas fazendo a mesma coisa, que não deu pra aguentar por um ano.

Daqui a um tempo é possivel que novas bandas apareçam para dar nova vida ao melódico, mas por enquanto não me incomodo de tirar uma folga de tanto thunder, blade, hammer, dragon, king e steel

Luana e Charlys disse...

Concordo Cara , eu Mesmo Curti Muito A Fase Aurea Do Melodico de uns anos para ca , fui a dois BMU (nossa quem foi hein? No finado Directv Music Hall Ingresso a 30 paus) e vi muitas bandas nacionais como Wizards e Toccata Magna que eu nao sei por onde andam , mas tbm me enchi ainda ouço de vez em quando , mas hoje curto METAL em geral , inclusive pendendo mais para os estilos mais agressivos como o Black Metal e por que nao o MetalCore que so me surpreende com boas Bandas , Alias Hail CD Novo do Soilwork , FOda !!!

Em suma , Melodico , voce nao morreu esta apenas adormecido enquanto o dragão passeia por ai banhado em sangue de uma donzela dando agudos interminaveis

Murinho disse...

Não concordo com nada.... se olharmos pelo lado mudança na obra de cada banda, então todos os estilos irão diretamente pro inferno...
Iron Maiden mudou tanto que tem fã que odeia os últimos álbuns. O St Anger do Mettálica, joguei no lixo de tão ruim. São apenas exemplos de bandas que mudaram muito seu trabalho, mas nem por isso jogaram esse ou aquele estilo no lixo ou ficaram em desuso. Além do mais, rótulos são rótulos e praticamente quase todas as bandas tem uma ou duas musicas (Às vezes mais) que puxam pro metal melódico em seu setlist e nem por isso são consideradas melódicas, bem como muitas bandas ditas melódicas hoje realmente tem novos trabalhos puxados mais pro tradicional ou trash ou mesmo hard. Até mesmo os últimos trabalhos do Avantasia não são mais melódicos. Afora o fato de que o metal melódico por sí só já não existe. Só aqui em terras tupiniquins que esse termo existe. Nenhuma banda jamais se intitulou melódica quando colocou um trabalho na midia. Falows

Giovane disse...

e ainda me morre o Dio aí fode tudo de uma vez,mas como disse a gata ae,metal é metal,curto é tudo,do napalm ao angra!

Anônimo disse...

A forma como vc teceu seu raciocínio pode até estar correta. Porém, vc aborda o metal-melódico dentro de um prisma extremamente restrito, o que ao meu ver é uma grande tolice. O grande problema é este tolo excesso de subvertentes, que acabam por encaixotar as bandas - muitas vezes a sua revelia dentro de um determinado ''seguimento''. O heavy-melódico não está morrendo, apenas transmutando.

Anônimo disse...

Muito bom o artigo. O autor apenas poderia trazer outro argumento para sustentar a sua tese: no começo dos anos 2000, os shows de metal melódico lotavam casas consagradas aqui de São Paulo.
Lembro-me de um show do Blind Guardian cujos ingressos no Via Funchal foram totalmente esgotados, por exemplo, estamos falando de algo em torno de 6/7 mil pessoas! Hoje em dia, bandas desse porte tocam em lugares menores, como o Carioca Club e até no Manifesto!
E não vale jogar a culpa nos preços dos ingressos, pois de 10 anos pra cá eles somente acompanharam o ritmo inflacionário.

Anônimo disse...

Essa classificação "metal melódico" não existe, é coisa de brasileiro. Lá fora é tudo power metal ou speed metal.

Heloisa disse...

A classificação em si pode até ser coisa de brasileiro, mas a enxurrada de bandas que chupinharam o Visions do Stratovarius lá pela virada da década de 90/2000 foi uma epidemia mundial bem pertinente. Bom, tudo na vida tem suas exceções, mas no geral eu acho o metal melódico um estilo repetitivo e pentelho pra cacete, do tipo "ouviu-um-ouviu-tudo", e se as bandas estão abandonando o estilo pra tentarem algo mais original e o metal melódico está morrendo por conta disso, que bom.

Doutor Bagos disse...

Texto certo em algumas partes, erradíssimo em outras. Me Parece que as pessoas estão torcendo pro metal morrer, e isso é muito escroto.

E aí em cima só é citado as principais bandas dos estilos, e as novas bandas (muitas delas excelentíssimas) são totalmente ignoradas.

O METAL NÃO MORREU PORRA, parem de acreditar nisso.

Anônimo disse...

O metal melódico não vai acabar. Isso é ingenuidade demais.
Existem coisas muito mais ruins que se multiplicam às dúzias ainda...

Anônimo disse...

Olha, eu vejo por outro lado. O lado de que bandas percisam evoluir para continuar por tanto tempo na estrada. Surgiram ótimas bandas de metal melódico nos anos 90 e inicio dos anos 2000. Mas de lá pra cá é no minimo 10 anos. Não tinha como todas as bandas seguirem na mesma formula... Sonata Arctica, Edguy, são exemplos de bandas que foram fenomenos do metal melódico e seguem grandes, mas com mudança no seu som. Já as bandas que tentam seguir sempre com a mesma sonoridade, não só no metal melódico, estão destinadas a cair no esquecimento. Além disso, bandas que fazem metal melódico de qualidade praticamente não surgem mais. Mas as que surgem são boas. Tem que se diferenciar o bom e o ruim metal melódico.

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Tem sentido o ponto de vista daqueles que discordaram dos meus argumentos. E este blog está aqui para isso mesmo. Para que possamos discutir e trocarmos opiniões. É uma troca de conhecimentos que enriquece a todos nós.

Mas, não concordo com os que comparam o fato de o Metallica ou o Maiden terem fugido de suas raízes e então, o thrash e o heavy tradicional, também estariam morrendo. Bom, no caso do Metallica, eles até fugiram sim do thrash de seus primeiros álbuns, mas além de já terem retornado ao estilo. Muitas outras bandas desse estilo continuam firme e fortes em seus propósitos e muitas outras bandas novas surgem a cada ano. Então está longe de morrer. Quanto ao Maiden, eles também não fazem a mesma música dos anos 80. Mas em momento algum fugiram do Metal Tradicional. E também cabe aí o fato das outras bandas clássicas do estilo não terem seguido outros rumos.

Ao contrário do Melódico, onde as bandas vem migrando para outros estilos e novas bandas são escassas.

Anônimo disse...

Minha gente! O que ele disse no artigo não deixa de ser verdadeiro e pertinente! E na minha opinião, em nenhum momento ele está declarando a morte do metal em geral, como um sujeito aí em cima sugeriu.
Quando o mercado hipersatura de uma sonoridade, como é o exemplo das bandas de metal melódico/speed metal, é preciso dar um descanso, e os admiradores do estilo acabam fazendo isso naturalmente, oras! A exemplo do que aconteceu com o hard rock, precisou esperar baixar a poeira de 1 zilhão de bandinhas glam poser do fim dos anos 80, ou imitadoras do Guns 'N Roses e Skid Row, para o estilo voltar a ser apreciado como ele merece.
Isso é natural e perfeitamente viável, meus amigos. Aliás, creio que é a melhor maneira de selecionar naturalmente as bandas realmente boas, e eliminar as "embalistas". Daqui a alguns anos, depois dessa respirada, veremos quem ainda estará de pé, e esses serão os melhores.
P.S.: isso de criticar o termo "metal melódico" é algo desnecessário! Por que nós, brasileiros, não podemos chamar o "speed metal" da maneira que mais nos convém? Existe alguma lei internacional metálica que determine que todas as nomenclaturas devam ser obrigatoriamente em inglês?

Carol.

Anônimo disse...

Discordo... o Metal melódico e nenhum outro estilo dentro do metal vai morrer.. saturado ou não, tem muita banda boa no estilo. Embora os babacas queiram.. o metal melódico não vai morrer!

Anônimo disse...

realmente essa é uma ótima tese,concordo 100% com essa "teoria" sobre o metal melódico,algumas pessoas comentaram algo interessante também,como fez por exemplo o raul lá no começo e a carol logo acima.

concordo com o que a carol falou,e sempre digo algo parecido para os "extremistas",ouço metal há mais de 10 anos,mas se tem um público-alvo o qual eu não tenho muita paciência pra me relacionar,é exatamente esse povinho "metaleiro" da cabeça fechada, ou qualquer outro ignorante,arrogante.

já estou de saco cheio desse mi,mi,mi,de que você não pode ouvir isso,ou você não pode assistir aquilo,o nome certo é speed e não melódico,etc.

enfim,tenho 24 anos e já estou de saco cheio dessas"regrinhas fictícias do mundo do metal",cujos metaleiros que as usam,são aqueles mesmos que esquecem as verdadeiras regras verídicas (norma jurídica) e se prendem a regras tolas que não vão leva-los a nada.

pra evitar pessoas como essas,que sai daquela comunidade ridícula do orkut "imb",digo isso porque gosto muito do iron maiden e é lamentável que sua maior comunidade do orkut tenha esse nível cultural.

Douglas.

Anônimo disse...

enquanto eu viver esse estilo terá pelo menos um admirador.

Anônimo disse...

Metal Melódico, Power Metal, Black Death Metal, Dark Metal, Speed Metal...

Vai se fude tudo isso! Quem inventou estas coisas realmente merece ser ESQUECIDO!

Só existe Rock e Heavy Metal, AMÉM E ALELUIA!

Anônimo disse...

Sou fã de carteirinha do Metal Melódico (Speed Metal), Stratovarius e Helloween são as minhas bandas preferidas. Não concordo que os Elements do Stratovarius não seja "Speed Metal", são sim, acredito que ficaram até mais melódicos do que os outros. Alias, Stratovarius é a banda que mais se manteve as raízes até hoje, nesse grupo musical. Sonata Arctica considero uma ótima banda do estilo também, mas essa sim, começou a cadenciar para outros estilos nos últimos albuns. Fora isso, acredito que realmente a galera têm deixado de gostar, não conheço mais quase ninguém que ouça Stratovarius e Helloween. Apenas eu. hehe!

Abraços!

Anônimo disse...

Nomear bandas com estilos, como metal melodico, por exemplo, serve para ajudar a descrever as musicas das bandas, refereindo-se a caracteristicas comuns entre musicas. Metal melodico eh um conceito que nao tem definicao permanente, no entanto, tem quase sempre o mesmo referente.

O autor deste texto estah invertendo. Ele trata o conceito do estilo como se fosse o referente ao invez do que devia:as caracteristicas comuns presentes nas musicas das bandas.

Discordo de toda caracterizacao do autor, do seu unico argumento e principalmente de que metal melodico eh foi ou eh um modismo.

Arthur disse...

Bem, eu curti muito bandas do gênero pelos meus 14-17 anos, mas de alguns anos pra cá fui ficando desgostoso, e hoje, aos 21, sinto vontade de gargalhar ao ver os releases de bandas que insistem em tentar fazer esse estilo.

Bruno Giacomelli disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bruno Giacomelli disse...

Concordo q existe uma certa migraçao de estilos em certas épocas, como aconteceu com o Hard Rock, porem a morte deles é algo um tanto quanto improvável de acontecer.
Como foi dito pelo Anonimo1 há uma certa mania de rotular bandas e jeitos de fazer metal. Confesso q certos estilos nao consigo indentificar quase q nenhuma diferença!
O metal no mundo da produção é uma coisa meio q mesclada pelas bordas e apenas as bandas q conseguem pegar um pouco de cada e tenta inovar em alguma parte consegue certo sucesso.

Acho q a rotulação é feita mais por nós ouvintes.
Por isso acredito q vai ter sempre elementos da definiçao "Metal Melodico" em álbuns de muitas bandas q se definirem ou forem definidas de algum outro estilo do metal.
Vai surgir outros tempos, os ventos mudarão e voltarão com eles menestreis se dizendo Melodic Headbangers.

Raul disse...

Acho que não é questão de jogar praga, como alguns parecem ter entendido. Só que não da pra negar que, de uma hora pra outra, tudo eram cavaleiros medievais, teclados, histórias de fantasia e vocais tentando alcançar o limite entre o agudo e o ultrasonico.

Eu acho o Metal Melódico (ou speed metal, para os frescos de plantão) ótimo, boa parte dos discos que eu tenho são do gênero, mas acho que não é a qualidade do gênero que está em pauta.

Quem ai não pegou a onda de bandas com vocal feminino? Foi praticamente a mesma coisa que estamos discutindo aqui: Apareceram umas bandas boas, dai a pouco toda banda tinha vontade de ser o Nightwish, agora esse estilo de banda deu um tempo e só algumas coisas ainda tem algum destaque.

Enfim, ninguém (ou pelo menos quase ninguém) ta querendo que o melódico desapareça pra sempre e qualquer registro da sua existência seja queimado em praça pública. Só estamos comentando a impressão de que o estilo está meio enjoado, que não seria ruim se ele tirasse umas "férias".

Dezuco disse...

Heresia...as principais bandas do metal melodico ainda estao fazendo metal melodico e sim
nocturnal rites eh phoden-housen

Luciano Luck Lopes disse...

Bom concordo com muitos e discordo de outros tantos,é simples como foi dito por um anónimo sobre o Glam metal duas coisas se tira de importante a primeira dar-se tempo ao tempo e a segunda é que com toda certeza depois dessa saturação aquelas bandas que tiverem valor e talento verdadeiro sobreviverá e o resto cairá no esquecimento.

Joyce disse...

eu não acredito que é o fim do metal melódico, existe muitas bandas boas de qualidade. Acontece que os "fãs" em vez de apoiar as bandas só sabem criticar. Um bom exemplo de que o estilo está voltando com tudo é o ANGRA que veio com o novo disco AQUA. Para mostar que ainda existe musicas melodicas de muita qualidade.

Fábio disse...

haiuhaihaiuha

Colocar o Nocturnal Rites no mesmo saco que bandas como Labirynth e Meduza é de doer hein.
O NOC deixou o melódico de lado a partir do Afterlife, porém deu uma escorregada legal no 8th sin, mas eu acredito que os caras são mais hard do que melódico nesse álbum.
Precisa pesquisar melhor, deixei de ouvir metal há alguns anos mas não pude deixar de ler essa matéria.
Bem feita até certo ponto, porém acho que o "melódico" não está entre o tradicional e o power.
O melódico é uma anomalia do tradicional enfeitado com sintetizadores de gosto duvidoso e músicos pretenciosos que não sabem o que é campo harmônico.
Eu quando era headbanger não considerava isso metal.

Aliás, o metal perdeu a sua essência real, hoje os metaleiros estão mais preocupados com a aparência do que com a atitude, hoje ser metaleiro é ser pretencioso e esquecer que o rock(que é a gênese do estilo) é liberdade.
Os caras se preocupam mais em defender uma bandeira furada e sem sentido do que simplesmente em ser livres para expor o que pensam de verdade.

Anônimo disse...

Acho que você trocou as bolas nesse texto.
Speed Metal não é Metal Melódico. A definição que você deu para o Power Metal, na verdade é a definição do Speed Metal, e vice-versa. Bandas que foram citadas como Grave Digger e Running Wild, são na realidade bandas de Speed Metal. Vide também Iron Angel, ótima banda de Speed.
Abraços.

VanaAlemoa disse...

Levei tempo para digerir teu post. Confesso que achava que o termo para Heavy Metal Melódico em inglês fosse Power Metal, e não Speed Metal. Concordo com tudo que tu disse. Acho que o público está cansado de "salvar princesas e matar dragões". Todo mundo fala mal do Massacaration (acho que, de certa forma, contribuem um pouco para o preconceito contra Headbangers) mas eles apenas exageraram e fizeram uma paródia de todos os clichês do Melódico. Penso que as bandas que consolidaram o Melódico, continuarão na ativa, mas de um jeito diferente. Como tu disses, é só ver o lado Prog do Angra. Também podemos usar de exemplo o último álbum do Helloween, o 7 Sinners. Tem uma resenha muito boa do Ronan Dannenberg no Whiplash, que fala justamente sobre essa mudança: http://whiplash.net/materias/cds/118445-helloween.html

Também aposto numa ressurreição do Melódico daqui a alguns anos.

Anônimo disse...

Massacration paródia dos clichês do melódico? Até onde eu saiba, Massacration é uma paródia das bandas do chamado "True Metal", Manowar por exemplo.
E a definição está errada: Metal Melódico é muito abrangente, vai desde o Heavy Metal Melódico, como Viper (primeira banda do André Matos) até Power Metal Melódico, como essas que você citou; Edguy, Avantasia e etc.
O Power Metal se encaixa mais em bandas como Helloween, e pela mor, SPEED METAL é Grave Digger! Você trocou tudo nesse texto. O Speed Metal surgiu muito antes do Power Metal e do Helloween.

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Obrigado a todos pelos comentários.

Essa rotulação de Speed/Power/Melódico é realmente algo muito confuso e eu posso estar errado em minhas colocações. Geralmente aqui no Brasil costumou-se chamar tudo de Melódico ou de Power. Mas tirando por base o que os próprios músicos de fora dizem, vide a entrevista de Andy Deris no DVD High Live do Helloween. Lá ele chama o estilo de sua banda de Speed Metal e não power e muito menos melódico.

Independente de rótulos e estando certo ou não os que utilizei, acredito que todos conseguiram, pelo menos, visualizar o estilo que eu dizia que estava nas últimas. Certo?

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Quanto ao Massacration citado pela VanaAlemoa e por um Anônimo. Acho que eles parodiam tanto bandas de Melódico, quanto de True. Na verdade eles são uma sátira do Metal como um todo. E até do Hard Rock também,é só ouvir o último disco deles.

Anônimo disse...

acho que o redator desta matéria não é muito fã de heavy metal e muito menos de metal melodico... o metal melodico nunca vai morrer sabe qual o motivo pois ele se renova a cada relação com outros estilos de musica e com isso nasce novos fã...yngwie malmsteen com seu metal neoclássico...dragonforce com seu estilo rápido...sonata artica com o puro melodico...enquanto houver fãs e criticos idiotas que não tem o que colocar em seu blog o metal melodico vai se manter de pé...

Carlos E. Garrido - Café com Ócio disse...

Cara, para seu governo, curto sim Heavy Metal e muito! Seja ele melódico ou não! Yngwie Malmsteen com seu neoclássoco surgiu na década de 80 cara, fazem 30 anos! Dragonforce virou refém de si próprio e vive se copiando... Sonata Arctica nasceu quase como um plágio do Stratovarius, apesar de eu preferir o Sonata...

Não quero que o estilo morra, mas que há pouca coisa nova nele, isso não há dúvidas...

Anônimo disse...

Metal melódico é a mesma coisa que Power Metal. Não sei daonde o autor tirou essa idéia...

Anônimo disse...

Cara, eu vivi uma fase fantastica do metal melodico. De 2002 a 2006 vi inumeras bandas aqui em Curitiba. Stratovarius, Edguy, Gamma Ray, Helloween, Angra, Shaman, Masterplan, etc. Escutava tds as musicas dessas bandas. Acontece que como vc mesmo disse, as bandas mudaram seu estilo. Estão fazendo outro som. Eu continuo ouvindo as musicas antigas dessas bandas e estao longe de estar de saco cheio com elas. E eu acho que eh isso que acontece com a maioria das pessoas que curtiam nessa epoca. Fizeram sucesso tocando um estilo aew do nada todo mundo muda, eu não curto os novos CDS deles por isso. Sou fã de metal melodico e sempre serei. Espero que um dia tds essas bandas acordem e voltem a fazer o som que faziam.

Herbert José da Fonseca Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Herbert José da Fonseca Silva disse...

Nada haver, metal melódico esse termo nem é conhecido lá fora do Brasil, o próprio André Matos entrevistando Andi Deris do Helloween fez o mesmo rir-se dele, devido a não conhecer esse termo q define o Power Metal, na vdd, speed metal como o Andi mesmo falou, é o realmente criado pelo Helloween, e q ficou reconhecidamente como Power Metal, são na vdd o mesmo estilo musical: melódico, speed e power; há apenas variações musicais (fortes ou não dessa vertente).

elder lima disse...

Como diria Marcelo Nova(que não tem nada haver com heavy metal), "Todo o que vira moda, torna-se extremamente desagradável" E acho que com o metal não é muito diferente!

Unknown disse...

Não concordo de maneira alguma com o post. O metal melódico continua vivo. Evidente que temos uma migração do estilo mesclando com outros, mas o metal melódico tem ressurgido com algumas bandas, contudo, claro que o público tem diminuido mas isso é fenomeno cultural dos nossos dias e não somente com o metal melódico mas com todos os tipos de Metal, se o metal melódico estiver morrendo, oq diriamos do death, doom e black metal?? O metal melódico é um estilo maravilhoso e jamais morrerá !!

Unknown disse...

Não concordo de maneira alguma com o post. O metal melódico continua vivo. Evidente que temos uma migração do estilo mesclando com outros, mas o metal melódico tem ressurgido com algumas bandas, contudo, claro que o público tem diminuido mas isso é fenomeno cultural dos nossos dias e não somente com o metal melódico mas com todos os tipos de Metal, se o metal melódico estiver morrendo, oq diriamos do death, doom e black metal?? O metal melódico é um estilo maravilhoso e jamais morrerá !!

digonobre disse...

Respeito sua opinião, mas não posso concordar. Power metal e "metal melódico" são a mesma coisa. Só com nomes diferentes.Na América do sul e principalmente no Brasil ele foi chamado de "metal melódico" daí criou-se uma confusão na cabeça das pessoas. Elas acham que são coisas distintas, mas é a mesma coisa.
E outra eu acho muito bom as bandas de hard rock estarem voltando e bandas de Power metal fazendo hard rock. Os melhores álbuns do halloween são os dois primeiros do Deris. Muito hard na veia.

Postar um comentário

 
Café com Ócio | by TNB ©2010